No rol das aspirações, um clássico do cinema

• Direção: Sergio Leone• Roteiro: Harry Grey, Leonardo Benvenuti• Gênero: Drama/Policial• Origem: Estados Unidos/Itália• Duração: 229 minutos• Tipo: Longa-metragem


Robert de Niro....... David Aaronson· James Woods......Maximillian Bercovicz· Elizabeth McGovern.....Deborah Gelly· Tuesday Weld.......Carol·
Treat Williams.........Jimmy O'Donnell· Joe Pesci........Frankie Minaldi·
Danny Aiello.........chefe de polícia· William Forsythe......Philip Stein·
Burt Young............ Joe· James Russo.......Bugsy·
Jennifer Connelly......Deborah(jovem)



ERA UMA VEZ NA AMÉRICA, drama épico, do prestigiado diretor Sergio Leone, uma co-produção ítalo americana, baseado em livro de Harry Grey. Título original: Once upon a time in America. Uma grande frustração.
Explico melhor: não que o filme não fosse bom, ou tivesse qualquer absurdo... Muito ao contrário. Acontece que aluguei um DVD, pensando driblar mais uma tarde de domingo, neste janeiro-quente-chuvoso, vendo este filme, tão comentado, de 1984, com o grande ROBERT DE NIRO. Era um longa metragem de 230 minutos, prensado em duas camadas (para caber num único disquete, acho eu). Enfim, o fato é que só consegui ver o filme até a metade, aí pela cena número 35. Daí em diante o filme travou e não pude saber o que acontece com Noodles/de Niro. Que fim levou a quantia milionária que ele, junto com seus amigos de infância, (agora comparsas)- conseguiram roubar e esconder.... O desfecho da história de amor: Noodles x Débora... Tudo ficou apenas confusão..... e minha imaginação criativa tentando, sem sucesso, montar o quebra cabeças das falhas de continuidade no enredo.
Recorrendo à internet - maravilha da tecnologia moderna – descubro que “Era uma vez na América”/1984, é o último filme a compor a trilogia sobre os primórdios da nação americana, formada de: 1o. Era uma vez no oeste, de 1969; e 2o. Quando explode a vingança, de 1971 todos do diretor Sergio Leone, hoje reconhecido como um grande mestre. Pesquisando, só encontrei referências positivas ao diretor, com elogios à intimidade que demonstra ao lidar com o “Tempo Cinematográfico”, bem como suas tomadas e enquadramentos originais.

Também merece destaque a música de Ennio Morricone. Ao longo de sua carreira, Morricone ganhou cinco prêmios Bafta, entre 1979 e 1992, tendo recebido em 2007 um OSCAR honorário, “por suas magníficas contribuições musicais ao cinema”. A música do maestro faz-se presente em Era uma vez na América de um jeito leve, fluido, a traduzir emoções de modo quase imperceptível. Amor, paixão, amizade, traições, violência, ódio, vingança, ingredientes a temperar as vidas de personagens que evoluem num ambiente pernicioso, até se tornarem adultos e velhos mais tarde, isso quando não morrem antes.



Dizem tratar-se de uma das Obras-primas do cinema. Um desses filmes que merece ser visto e revisto diversas vezes. Eu ainda não consegui assistir por inteiro, mas não perco a esperança. Quem sabe ele retorna à grade de programação do Clube de Cinema, ou numa das sessões da Secretaria da Cultura? Tudo é possível....... vamos ficar na torcida.

OBS: Estou incluindo também o trailer original em inglês - pois a qualidade de SOM e IMAGEM é muito superior. Avaliem vocês.
=======================
elisilvéria

1 Response to "No rol das aspirações, um clássico do cinema"

  1. Jeferson Torres says:
    25 de janeiro de 2011 01:23

    Filmão !

Postar um comentário